fbpx

Guia Viajar Sozinha em Segurança

HomeHolandaAmsterdamViajar Sozinha para Amsterdam informações pra quem vai solo

Viajar Sozinha para Amsterdam informações pra quem vai solo

Confira nesse artigo as melhores e mais importantes informações para você viajar sozinha para Amsterdam com tranquilidade e segurança

Guia Viajar Sozinha em Segurança

Amsterdam é uma cidade encantadora e a capital dos Países Baixos, país que chamamos de Holanda. Viajar sozinha para Amsterdam é ter a oportunidade de imergir em uma cultura moderna, democrática e muito falada ao redor do mundo todo. Não é à toa, a cidade é um verdadeiro show de cultura, história, gastronomia, arquitetura… enfim, um paraíso necessário.

Quem nunca ouviu falar das tulipas de Keukenhof, das prostitutas nas vitrines do Red Light District e da liberação do uso recreativo da maconha? Amsterdam é assim, livre. Misturada com diversas nacionalidades e, sobretudo, um destino fácil de explorar pra quem está começando a viajar sozinha.

 

Viajar Sozinha para a Holanda

Requisitos para Entrada de Brasileiros na Holanda

Mr Jordann Hotel, no bairro dos canais

Rho Hotel, localização imbatível em Amsterdam

Muito além disso, a capital dos Países Baixos é também capital das bicicletas. Mais de 58% das pessoas usam a bicicleta como meio de transporte principal. As bikes, somadas aos bondes elétricos – tram – fazem de Amsterdam uma cidade com transporte muito sustentável, principalmente se comparada a outros grandes centros.

Os atrativos são infinitos, vão dos coffee shops, parques e mercados aos museus incríveis. Viajar sozinha para Amsterdam é entrar em contato com tudo isso, pois é uma cidade repleta de possibilidades, durante todo o ano. 

Além de oferecer atrações incríveis, Amsterdam é linda e charmosa. Os canais e a arquitetura das casas tornam tudo muito cinematográfico, principalmente quando estão em harmonia com as flores. Sendo uma cidade plana, nossa vontade de caminhar e se perder pelas ruas, se torna infinita e nem vemos o tempo passar.

Se eu sugiro Amsterdam para uma primeira viagem sozinha? Com certeza, assim como Lisboa pode ser uma excelente opção pra quem não domina o inglês.

Neste artigo vou me concentrai mais nas particularidades da cidade de Amsterdam, mas se você quer saber mais detalhes sobre outras regiões, poderá acessar o outro post Viajar Sozinha para os Países Baixos e também o artigo em que falo especificamente sobre os Requisitos para Entrada de Brasileiros nos países Baixos.

Se preferir, você poderá acessar diretamente os temas de seu interesse.

Como chegar em Amsterdam

Na minha primeira visita a cidade cheguei de trem com a empresa Thalys. De Paris até Amsterdam são apenas duas horinhas de viagem super confortável. Você pode chegar de trem de várias capitais europeias.

Mas, se você sair aqui do Brasil, existem voos diretos de São Paulo e Rio de Janeiro. Eu gosto muito de voar com a KLM, mas outras empresas também operam essa rota.

Você chegará no Aeroporto Internacional de Schiphol e para ir do aeroporto até o seu hotel existem algumas opções:

  • Trem – Do desembarque você deve se dirigir até a Schiphol Plaza, no subsolo do aeroporto e em 20 minutos você chegará na Estação Central de Trem, bem no centro de Amsterdam.
  • Bus – O terminal de ônibus fica logo do lado de fora de Schiphol e você poderá usar o Amsterdam Airport Express, ônibus 397 que vai te deixar no centro de Amsterdam.

Os tickes de transporte de Amsterdam, Nederlandse Spoorwegen (NS), podem ser comprados facilmente nas máquinas amarelas espalhadas no aeroporto.

  • Uber – Saindo do aeroporto é só atravessar a rua e aguardar seu Uber. Foi o que utilizei na minha última viagem e funcionou super bem.

Idioma

Muita gente tem receio de ir para os Países Baixos, principalmente, por não falar o idioma local, o holandês. Mas saiba que os holandeses são muito simpáticos e a maioria fala inglês. Você não terá grandes problemas de comunicação. A sinalização da cidade, do transporte é em inglês.

Na minha primeira visita a cidade em 2010, não existiam todos os recursos de GPS na palma da mão. E eu caminhava, caminhava e não encontrava o Mercado das Flores. Passei por um cara de uns 60 anos que caminhava por ali e perguntei se estava no caminho certo para o Mercado. Muito educado, me deu boa tarde e em um inglês excelente – se comparado ao meu – me explicou em detalhes por onde eu deveria ir. Ao final da explicação, me disse que era um homeless (sem teto) e que, se eu pudesse contribuir com algo, ele ficaria muito grato.

Bom, se esse foi um golpe comum em Amsterdam, não faço ideia, mas fiquei perplexa com o inglês e a educação.

Quando ir para Amsterdam

Se você quiser ver uma Amsterdam florida, cheia de cores e programas a céu aberto, a melhor época para uma visita é entre Abril, Maio e Junho. A primavera é quando os europeus, em geral, ficam animados e felizes com o aumento de temperatura. 

Se falamos em Amsterdam, logo pensamos nas tulipas holandesas e Keu. De fato, nessa época do ano elas estão por toda parte. Além disso, os parques ficam cheios de esquilos e outros animais que saem dos esconderijos de inverno.

Por falar nas baixas temperaturas, essa é a época quando Amsterdam fica fria e bem úmida. Isso não torna a cidade ruim. Pelo contrário, é quando fica toda enfeitada para as festas de fim de ano. 

Quantos dias ficar em Amsterdam

Bom, como eu já disse, Amsterdam é uma cidade repleta de atrativos. Você pode fazer tours temáticos de diferentes épocas da história, pode desbravar a notória vida noturna e coffee shops, se encantar com os museus de arte… Por isso, recomendo ficar ao menos 5 dias, sem contar o de chegada e saída. 

Dependendo da época do ano, será possível ter dias de sol, chuva, neblina e realmente conhecer um pouco da cidade. 

Onde ficar em Amsterdam – Bairros

Os bairros de Amsterdam podem ser facilmente diferenciados e vou te contar aqui a minha experiência por lá em três locais diferentes.

Considerando a facilidade de locomoção, preço e segurança, os melhores bairros para se hospedar, quando sozinha em Amsterdam são: Joordan, Grachtengorden e Westerpark.

Centrum

Na minha primeira vez na cidade, em 2010, escolhi como referência de hospedagem a Dam Square e fiquei no simpático Rho Hotel que em outros tempos foi um teatro.

Como não foi uma viagem planejada e tinha pouco tempo na cidade, acabou sendo conveniente, mas sem muito charme. A localização do hotel é realmente imbatível pela proximidade de algumas atrações e vasto transporte na porta. Da estação de trem Centraal você pode ir andando até ele. Gostei bastante da experiência. Foi prático, porém não foi barato.

Consulte as tarifas no Rho Hotel no período da sua viagem

Veja como foi a minha experiência no Rho Hotel e o que você pode esperar

Joordan

O Joordan é também conhecido como o bairro judeu. É uma vizinhança tranquila, onde fica o Museu Casa de Anne Frank. As ruas por si só são muito bonitas, com casinhas super características. Ao caminhar, verá jardins com objetos estranhos, janelas muito chamativas, bares, cafés, galerias e restaurantes. 

Viajar Sozinha para Amsterdam Mr. Joordam
 

Localizado no bairro “dos canais” e o queridinho em Amsterdam, o  foi a minha segunda hospedagem na última visita à cidade. Gostei bastante da experiência! ⁣É um hotel pequeno e aconchegante com uma decoração muito fôfa e inspirada nos viajantes. Meus dias por ali foi de muitas caminhadas sem destino, o que amo cada vez mais fazer nas viagens. Cada vez mais o slow travel tem feito parte das minhas viagens sozinha pelo mundo. ⁣⁣

Consulte as tarifas no Mr. Jordaan no período da sua viagem
Veja como foi a minha experiência no Mr. Jordan e o que você pode esperar

O Mr. Jordaan fica em uma rua calma, em frente ao Bloemgracht, um canal do século 17 lindo demais e que rende belíssimas fotos. ⁣O bairro em si é excelente e convidativo para flanar. Ruelas floridas, cafés, canais encantadores.⁣ Pertinho do hotel há transporte para qualquer lugar da cidade. E a alguns passinhos você estará em frente à Casa de Anne Frank. ⁣ Achei a minha escolha perfeita! 😉 ⁣

Estação Zuid

No meu último roteiro tinha a intenção de fazer dois passeios fora da cidade: conhecer os campos de tulipas em Keukenhoff, que fica na cidadezinha de Lisse; e também ir a Zaanse Schans. Portanto, escolhi um local diferente pra me hospedar, nos arredores da estação Amsterdam Zuid e que também era mais próxima do Aeroporto por onde cheguei.

Imagem Divulgação – citizenM Amsterdam South

Minha escolha foi o moderno e tecnológico citizenM Amsterdam South. Eu amo tecnologia e o quarto era todo comandado pelo tablet, além de ter o banheiro no meio do quarto. O bar do hotel também era muito divertido e por lá provei várias cervejinhas diferentes, além de bater papo com os atendentes. Tinha até uma brasileira trabalhando por lá. Gostei muito da minha experiência no citizenM.

Consulte as tarifas no citizenM Amsterdam South no período da sua viagem

Não recomendo ficar

Red Light District e Centro são os bairros onde não indico se hospedar viajando sozinha para Amsterdam. É a parte da cidade mais conhecida pela moças em vitrines, baladas de sexo ao vivo, concentração de comércios e turismo intenso. Além do barulho, há também os perigos naturais desse tipo de área.

Hospedagem em barco

Outra possibilidade diferente pra você experimentar em Amsterdam e que eu não poderia deixar de falar, é a hospedagem em um barco, dentro de um dos charmosos canais da cidade. O canal Prinsegracht, por exemplo, é repleto de moradias em barcos que podem ser alugadas. Sem dúvida alguma essa pode ser uma experiência muito especial e diferente pra trazer uma pitada de aventura na sua viagem solo. Que tal?

Rembrandt Square Boat – Imagem Divulgação

VER OPÇÕES DE HOSPEDAGEM EM BARCO EM AMSTERDAM

Sozinha em Amsterdam– Segurança

Amsterdam pode ser considerada bem segura, apesar de ter seus problemas como em qualquer parte da Europa. A primeira dica de segurança vai para os bairros mais boêmios, mas vale também para o resto da cidade. Nunca é demais ficarmos atentas ao que se passa ao nosso redor.

Eu caminhei a cidade toda e não vi ou tive qualquer problema. Mas é fato que hoje a segurança na Europa já não é mais a mesma.Uma coisa importantíssima: jamais, em hipótese alguma, tente fotografar as prostitutas nas vitrines. Elas são protegidas por seguranças e não vale a pena o risco. Por mais que a rua possa estar sem muitas pessoas, o local é monitorado o tempo todo. 

vale lembrar que as regiões turísticas são conhecidas por atrair os pickpockets ou batedores de carteira. Eles são conhecidos por roubar carteiras, celulares e coisas que ficam em bolsos sem que você perceba. Aquela mão levinha que você nem percebe. Por isso, todo cuidado é pouco!

Por fim, tome os cuidados normais que você tomaria em uma cidade grande. Não dar confiança para contadores de casos e pessoas que te distraem enquanto outras roubam.

Como se locomover na cidade

Ônibus & tram

A primeira dica é que não é possível pagar o bilhete dentro do tram ou do ônibus com dinheiro vivo, apenas com cartão. Além disso, sempre que entrar, deve passar validar o ticket na maquinhinha. O mesmo deve ser feito quando sair, pois caso você seja pega andando sem o check in ou check out, estará sujeita ao pagamento de multa. 

Os trams são os bondes elétricos que circulam principalmente no centro da cidade. São em geral muito bons e funcionam quase 24 horas. Para pegar, basta dar o sinal em algum dos pontos e entrar. Na hora de sair, aperte o botão vermelho para dar o sinal e depois o verde para abrir a porta. 

Os ônibus funcionam praticamente da mesma forma. Você deve marcar o bilhete tanto na entrada, quanto na saída. Tanto os ônibus quanto os trams param entre meia noite e uma da manhã. Mas existem ônibus noturnos que passam durante esse tempo. 

Existe um cartão que serve para todos os meios de transporte: OV-chipkaart. Ele não é personalizado e assim que você carrega já poderá usar. Ao final da sua viagem é possível solicitar o reembolso de valores não utilizados. O cartão tem a validade de 5 anos e você poderá comprá-lo em supermercados, lojas próprias do OV Card.

Em suma, você poderá contar com o transporte público de Amsterdam em praticamente todos os momentos de sua viagem.

Bike

Amsterdam é a capital das bicicletas. Inclusive, é mais provável que você pegue zonas congestionadas por ciclistas do que por carros, quase inexistentes nas zonas turísticas. Espere uma cidade prioritariamente ciclista, super bem sinalizada e muito charmosa. 

Dar um passeio de bike em Amsterdam pode ser uma boa, mas vou te falar que vi muitos turistas sendo atropelados e xingados pelos moradores que andam bem rápido. Por isso, nunca me animei a alugar uma bicicleta em Amsterdam. Acho que é uma aventura e tanto! Não pense que você vai conseguir flanar pela cidade em cima de uma bike. Andar devagar, curtir a paisagem e as casinhas coloridas. O ritmo é intenso e a quantidade de bikes é inacreditável!

Mas pode ser interessantes, ao menos, fazer uma tour de bike pela cidade para conhecer os principais pontos acompanhada de um guia que vai te dar uma visão geral de Amsterdam.

Balsas

Outro meio de transporte bem utilizado em Amsterdam são as balsas. Elas não ligam os canais, mas sim Amsterdam e Amsterdam-Noord. Esse bairro tem uma das vistas mais bonitas da cidade e você consegue chegar de balsa, que é gratuita. A balsa sai da Estação Central e você pode levar a sua bicicleta na travessia. Eu usei a balsa apenas uma vez pra ir no A’DAM Lookout e ver a cidade de outro ângulo.

A pé e deslocamentos

O melhor jeito de conhecer Amsterdam, na minha opinião é andando. A cidade é plana e as distâncias não são tão grandes. Rapidamente você faz a pé a área centra.

Ahh e para saber qual meio de transporte pegar, você pode contar com a ajuda do Google Maps ou também usar o site 9292. Ele informa as rotas em tempo real e é muito completo.

Internet 4G

As operadoras de celular mais comuns na Holanda são a Vodafone, Lebara e Lycamobile. Caso você não tenha muito tempo na sua viagem ou tenha dificuldades com o idioma, também é possível sair do Brasil com chips internacionais da Viaje Conectado ou da America Chip.

Sobre a Maconha em Amsterdam

The Bulldog First – Imagem Divulgação

Impossível não falar sobre esse tema quando nos referimos à Amsterdam, não é mesmo? E uma coisa é certa: há muito burburinho, mas as coisas não são tão liberadas assim como dizem.

Primeiro de tudo, você não vai chegar em Amsterdam, comprar maconha na esquina e acender um baseado no meio da rua. Esqueça, porque a coisa não funciona assim. A maconha é tolerada, porém existem algumas regras em relação ao consumo.

A real é que você só pode comprar e consumir maconha dentro dos coffeeshops regulamentados. Pode consumir em casa também. Você precisa ser maior de 18 anos e, sim, vão te pedir documentos que comprovem. Você também não poderá comprar e portar mais do que 5 gramas por dia. Fumar na rua e em locais públicos, nem pensar!

Mesmo que você não queira consumir maconha, poderá ir conhecer o coffeeshop. Não há problema nenhum nisso. Então, é o seguinte:

Se você quer comprar e consumir maconha pra experimentar, procure os coffeeshops. Aliás, importante dizer que as coffeeshops não vendem álcool. Se quiser realmente tomar um café, procure pelos koffiehuis, que são as cafeterias, digamos, normais.

Dentre os coffeeshops famosinhos, estão o The Bulldog e o Barneys. O The Bulldog é uma redes bastante conhecida e que começou em uma portinha de uma sexshop, onde amigos se reuniam pra fumar um, isso lá nos anos 70. O Barneys tem várias filiais, uma delas chamada de Amnesia!

O que eu recomendo se você tem intenção de experimentar e está viajando sozinha:

  • escolha um lugar conhecido como os citados acima.
  • avise ao “garçom” que você quer algo mais leve, fraquinho mesmo.
  • só saia do coffeeshop, quando o efeito tiver passado.

O que ver e fazer em Amsterdam viajando sozinha

Abaixo listo as principais atrações na cidade de Amterdam, mas, claro, que existem muitas outras coisas pra ver na cidade.

Na medida em que eu for escrevendo sobre as atividades, os links serão acrescentados neste post.

Museu Van GoghCasa de Anne Frank Museu Nemo Science Joordan 
VoldelParkMuseumpleinMuseu RijksmuseumMuseu Stedelijkmuseum
Red Light DistrictPasseio de Barco CanaisMercado das FloresDam Square
Heineken ExperiencePalácio RealMercado das FloresBegijnhof
Museu Madame TussaudsMuseu das Tulipas Igreja VelhaAmsterdam-Noord
Homomonument WaagMuseu Nacional MarítmoJewish Museum
Casa de Rembrandt Houseboat MuseumMuseu de AmsterdamMoco Museum
Eye Film MuseumMuseu da Marihuana A’DAM Lookout  Albert Cuyp Market

Bate e Volta a partir de Amsterdam

Olha quantas opções de cidades para enriquecer o seu roteiro, quando viajar sozinha para Amsterdam. Realmente a gente fica perdida com tantas opções interessantes. Fiz apenas as duas primeiras, mas pretendo voltar e fazer o restante do país, pois gostei muito da vibe e da cultura nas duas vezes em que estive por lá.

Pra começar as suas pesquisas, os nomes das cidades e as distâncias. Dá pra conhecer muita coisa, não?

E então, já bateu a vontade de viajar sozinha pra Amsterdam, alugar uma bicicleta e percorrer livremente as ruas da cidade? Se chegou até aqui, tem dicas preciosas para o passeio perfeito. 

Estar sozinha em Amsterdam passa uma sensação de liberdade enorme, além de ser um presente para a alma. Afinal, são muitos museus e atrações históricas, além de uma cultura maravilhosa para se descobrir. 

JÁ ESTÁ ME SEGUINDO NO INSTAGRAM? BORA VOAR!

28,3k Seguidores
Seguir

Salvo algumas exceções devidamente sinalizadas, todas as viagens e experiências do Viajante Solo são custeadas com recursos próprios da autora, Denise Tonin. Por isso, se você achou esse conteúdo útil para a sua viagem, poderá adquirir os produtos oferecidos, como o Planner de Viagem, o Guia Viajar Sozinha em Segurança ou a Mentoria para Viajar Sozinha. Ficarei muito feliz e grata pelo seu apoio!

Guia Viajar Sozinha em Segurança

Planner Viajante Solo

Planner Viajante Solo

DEIXE UM COMENTÁRIO!

Please enter your comment!
Insira seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Success message!
Warning message!
Error message!