Viajar para o Marrocos dicas essenciais para planejar sua viagem Viajante Solo
Marrocos para Mulheres 2019

O Marrocos sempre habitou os meus sonhos – tenho fascínio pela África – e já estava na minha lista de desejos há muitos anos! Mas viajar para o Marrocos, país muçulmano, sendo mulher, de acordo com o que dizem, não era uma coisa tão simples e, talvez por isso, a experiência tenha sido adiada por algum tempo.

O que posso dizer é que essa experiência em grupo com 16 mulheres, que faz parte do projeto Viagem para Mulheres com Denise Tonin, foi bastante tranquila e nada parecida com o que li. Que bom! E não estou dizendo que coisas ruins em relação as mulheres, não acontecem por lá. Apenas que, na minha experiência, viajar para o Marrocos foi divertido, surpreendente e uma das melhores experiências dos últimos tempos. Exagero de alguns? Pode ser. O fato é que voltei realmente encantada, vi paisagens difíceis de descrever e o resultado disso é uma viagem solo marcadíssima para o segundo semestre deste ano e que vai me responder muitas questões.

Situado ao norte da África, entre quatro cadeias de montanhas – Alto Atlas, Médio Atlas, Anti Atlas e Rif -, o Marrocos tem, aproximadamente, 34 milhões de habitantes e 9 locais listados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Tive o prazer de conhecer – apenas – 4 deles! Ótimo motivo para voltar, não? São eles:

  • Sítio Arqueológico de Volubilis
  • Cidade de Meknes
  • Ait-Ben-Haddou
  • Medina de Essaouira (Ex-Mogador)
  • Medina de Fez
  • Medina de Marrakesh
  • Medina de Tétouan (Ex-Titawin)
  • Cidade de El Jadida (Mazagan)
  • Cidade de Rabat
Viajar para o Marrocos Ait Ben Haddou
Aït-Ben-Haddou

Em 2017, o turismo no Marrocos teve um crescimento de 10% no número de turistas,  recebendo 11,35 milhões de viajantes. França e Espanha figuram como os países que mais levam turistas ao país, de acordo com o Ministério do Turismo do Marrocos. E viajar para o Marrocos tem sido uma tendência para os brasileiros também. Várias agências de passeios no país tem se especializado no atendimento aos brazucas, colocando à disposição guias falando português.

Bom, mas não quero me alongar muito e quero começar a falar sobre vários pontos que vão ajudar você a viajar para o Marrocos de maneira prática e ter uma experiência memorável como a que eu tive.

Alguns artigos relacionados a este conteúdo estão em produção, mas os deixei sinalizados para você saber o que vem por aí . Assim que forem publicados, os links serão inseridos. 😉

Idioma

Para que a gente possa se aprofundar um pouco mais no destino que estamos explorando, vale conhecer um pouco do idioma local. No Marrocos os idiomas oficiais são o árabe e o berbere, nada fácil de pronunciar e aprender. Usando o francês, devido ao seu passado de colonização, você será entendida, mas nem sempre a resposta virá em algo que você entenderá…rs

Com o turismo em expansão, o inglês e espanhol são falados e compreendidos e até mesmo o português de Portugal poderá ser encontrado facilmente. Em Marrakech, Fez, Chefchaouen, Rabat e Casablanca tivemos visitas guiadas em português, o que foi maravilhoso para conhecer melhor a cultura e história dos pontos de interesse, sem muito esforço.

Noções de Árabe

  • Salaam alaykum – olá (literalmente, que a paz esteja com você)
  • wa alaykum as-salaam – tudo bem
  • beslama – adeus
  • Kayen – você tem?
  • ma’arft – não tenho certeza
  • iyah – sim
  • lla – não
  • Rally bizef – muito caro
  • Shukran – obrigado
  • Afak – Por favor
  • Baalak! – Cuidado! Atenção! Essencial para entender que deve sair do caminho, quando estiver caminhando pelos souks mercados
  • Meshi Mushkil – sem problema
  • Sh’al? (sh haal) – Quanto custa?

Fuso Horário

A diferença de horário do Marrocos (GMT+1) em relação ao Brasil é de 4 horas a frente. Por lá também há horário de verão e acontece, normalmente, entre Março e Outubro.

Visto

Não há necessidade de visto para brasileiros entrarem no Marrocos e o período de permanência é de até 90 dias. O prazo poderá ser prorrogado através de uma solicitação no Comissariado de Polícia.

O passaporte deverá ter validade superior a 6 meses e uma página em branco para o carimbo de entrada.

Vacina

Não é exigida nenhuma vacina para entrada no Marrocos. De qualquer forma, como sugestão, recomendo estar sempre com seu Certificado Internacional de Vacinação – CVIP  com a vacina de febre amarela para qualquer viagem.

Seguro Viagem

Não é exigido nenhum tipo de seguro, mas como sempre falo, é super recomendado contratar um seguro viagem que contenha assistência médica e repatriação. O Marrocos possui um bom sistema de saúde, mas reconhecidamente em Casablanca e Rabat. O que pode acontecer é – no caso de precisar ser atendida – ter grande dificuldade em se comunicar.

Confira os melhores preços de seguro viagem e as melhores seguradoras para encontrar um plano que caiba no seu bolso e atenda as suas necessidades.

Imigração

Chegamos ao Aeroporto Menara, em Marrakech e estávamos em um grupo de 16 mulheres, mais o Erik Cabral, parceiro da agência de viagens. Ele passou a imigração na frente do grupo. As meninas estavam vestindo uma camiseta da viagem e acabaram chamando bastante a atenção. Todas passaram, mas o agente de viagem foi abordado por um senhor da imigração que fez muitas perguntas. Veja o que me contou:

Ele me perguntou primeiro onde estavam os homens do grupo. Depois, por que somente eu de homem. Respondi que era uma viagem em grupo e que eu estava acompanhando e ele perguntou de onde nós vínhamos, quanto tempo íamos ficar e quem ia nos receber. Pediu o nome e telefone de nosso guia, o meu telefone e perguntou se caso precisasse, poderia ligar.

A intriga dele foi o fato de serem muitas mulheres desacompanhadas de homens, não serem da mesma família e também o fato de eu estar sozinho, sem outro homem para coordenar as 16 mulheres. Tanto que uma das coisas que ele disse foi: mas com 16 mulheres por que não vejo outro homem? É um trabalho difícil! disse rindo

Pois é… infelizmente, ainda temos este tipo de pensamento em pleno século XXI. É, no mínimo estranho para eles, verem tantas mulheres sem a companhia de um homem, como se isso fosse nos dar aval para alguma coisa na vida (olhos revirando). De qualquer forma, não podemos nos queixar de má educação ou de algum tratamento rude na imigração.

Já no meu caso, na hora de passar pelo agente da imigração, não estava com a camiseta do grupo e fui uma das últimas a passar. Ele me perguntou qual o motivo da viagem, quanto tempo eu iria ficar e sobre a minha profissão. Perguntou se eu trabalhava em algum jornal ou emissora de TV. Ao responder negativamente, carimbou o passaporte e nada mais.

Drones

No Raio X, ao passar as malas, notei a extrema insistência em saber se tínhamos drones. Em um grupo de Whats em que participo, já contaram inúmeras histórias de drones confiscados. Nosso guia informou que tendo autorização é possível voar por lá, porém em todos os sites que busquei informações falam que dificilmente você conseguirá o certificado. Antes de colocar seu drone na bagagem busque por informações ou poderá voltar com um grande prejuízo.

Dinheiro

Viajar para o Marrocos Dinheiro Dirham

A moeda oficial no Marrocos, desde 1958, é o dirham marroquino que tem como símbolo DH. As notas em circulação são de 10, 20, 50, 100, 200 dirhams. Já as moedas são de 10, 20 e 50 centavos e ainda 1, 2 e 5 dirhams.

Onde trocar dinheiro

Você não terá dificuldade em fazer isso, pois há várias casas de câmbio nas medinas, no aeroporto, etc. Lembre-se que no aeroporto as cotações nunca são tão boas, então, poderá trocar uma pequena quantia para as primeiras despesas na sua chegada. Depois a recomendação é que você se informe no seu hotel ou com o seu guia, qual o lugar mais seguro e com boas cotações.

Eu troquei dinheiro duas vezes. Na primeira, troquei 200 euros e nos primeiros dias pude ver melhor os preços das despesas básicas como água, lanches, refeições e também o que eu gostaria de comprar. Durou bastante dias, inclusive fazendo compras.

Depois fiz mais uma troca de 100 euros e gastei todos os dirhams antes de voltar. A maioria dos lugares aceita euros também, mas daí você ficará sujeita a cotação do vendedor, que não será a mesma das casas de câmbio e ainda recebe o troco em dirhams.

Gorjetas

Usamos muito os carregadores de malas, quando ficamos em Riads que não tinham elevador e pagávamos por volta de 0,50 a 1 euro (Maio 2018). Alguns restaurantes cobram taxa de serviço e em outros é totalmente opcional.

Energia & Tomadas

Hoje em dia nenhuma tomada serve para os nossos plugues de 3 pinos, infelizmente. A não ser que você tenha aparelhos antigos com os plugues de 2 pinos, precisará de um adaptador. A tomada no Marrocos é a mesma utilizada em parte da Europa com dois pinos, as chamadas tipo C e E.

Plugues de tomada ao redor do mundo

Já a corrente elétrica é de 220v, então, se levar um secador de cabelos, não esqueça que ele precisará ser bivolt e que você deve trocar a corrente para 220v antes de ligá-lo.

Quando ir

Assim como o Brasil, o Marrocos apresenta regiões bastante distintas com praia, montanha, deserto e ainda as cidades imperiais, que ficam mais no interior do país. Isso trará uma variação de temperatura por região. Para você ter uma ideia, em Maio, ao passarmos por Ifrane, a conhecida Suíça Marroquina, pegamos chuva de granizo e a temperatura caiu absurdamente em plena primavera.

Então, se você prefere temperaturas amenas, minha sugestão é viajar para o Marrocos na primavera, que vai de Março a Maio; ou no outono, que vai de setembro a novembro. Viajei no mês de Maio, considerado mês de média temporada, e os preços estavam mais atrativos, além de não apresentar grandes variações no clima. Em geral pegamos de 13°C a 28°C.

Viajar durante o Ramadã

Viajar para o Marrocos Ramadã
Imagem: Pixabay

Durante o mês sagrado do ramadã, os muçulmanos jejuam do nascer ao pôr do sol. Como as datas variam de acordo com o calendário lunar islâmico, vale você pesquisar no Google para ver se a sua viagem cairá durante o ramadã.

Nesse período, normalmente, há alterações nos horários dos pontos de interesse, dos restaurantes e estabelecimentos comerciais. É um período em que os turistas devem respeitar e se adaptar. Escrevi um pouco sobre o assunto e as as consequências para a sua viagem e você poderá ler no artigo abaixo.

Viajar para o Marrocos durante o Ramadã

Quantos dias ficar

Esse assunto é sempre difícil de chegar a uma boa conclusão e vai depender muito do que você quer conhecer. Eu fiquei apenas 9 dias, pois a viagem fazia parte do projeto Viagem para Mulheres e já vínhamos de Portugal e Espanha. Em 9 dias conhecemos 3 cidades imperiais: Fez, Rabat e Marrakech, além da experiência de dormir no deserto, que é algo que não pode ficar de fora do seu roteiro. Mas há muitas coisas mesmo para conhecer, então, antes de bater o martelo na quantidade de dias, pesquise bastante o que gostaria de ver.

Para uma viagem mais tranquila, sugiro 15 dias, mas há cidades e pontos de interesse para preencher mais de 20 dias de viagem. Sempre vai depender do orçamento e tempo disponível, do seu estilo de viagem (mais rápido ou mais devagar) e também das experiências que você quer ter: mais praia, mais cidades históricas, mais natureza. O Marrocos tem tudo isso para te oferecer.

Lembre-se também que apesar das estradas serem muito boas, há limites de velocidade entre 40 e 60 km em muitos trechos, o que vai prolongar seu tempo de deslocamento.

Roteiro Resumido

Se você pensa que no Marrocos só há o deserto e o passeio com o camelo como atrativo exótico, está redondamente enganada. Apesar de ter sido a minha experiência mais fascinante (não queria nem dormir, quando estava em Erg Chebbi pra aproveitar cada minutinho), há muito mais coisas para explorar, sempre recheadas de vistas espetaculares e surpreendentes!

Viajar para o Marrocos Gargantas de Dades

Fizemos um circuito de carro que percorreu aproximadamente 1800 km com paradas em vários pontos de interesse pelo caminho, que serão detalhados em outro post. Abaixo, você consegue ver as principais cidades-base do roteiro.

Viajar para o Marrocos Mapa com Roteiro | Viajante Solo

Dia 1 – Málaga / Lisboa / Marrakech
Dia 2 – Marrakech
Dia 3 – Marrakech / Dades
Dia 4 – Dades / Merzouga
Dia 5 – Merzouga / Fez
Dia 6 – Fez / Chefchaouen
Dia 7 – Chefchaouen
Dia 8 – Chefchaouen / Rabat / Casablanca
Dia 9 – Casablanca / Lisboa / São Paulo

Leia também >> Roteiro no Marrocos 9 dias de carro (com Mapa)

Como se locomover entre as cidades

Avião

É possível se deslocar de avião pelo Marrocos, que conta com 18 aeroportos. Porém, basicamente todos os voos internos são operados pela companhia aérea nacional, Royal Air Maroc e, por conta disso, as passagens aéreas tem preços bem elevados.

Alugar um carro

Mais prático e mais interessante, alugar um carro, de preferência um 4×4, será uma ótima opção, pois você poderá quebrar as longas distâncias entre as cidades, parando a hora que quiser em diversos pontos de interesse com vistas espetaculares, além de conhecer pequenas cidades ao longo do caminho.

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) brasileira é válida no Marrocos por até um ano, mas se você quiser – e sempre recomento – poderá levar a sua Permissão Internacional para Dirigir, que nada mais é do que a sua CNH traduzida em vários idiomas, inclusive o árabe.

Leia também >> Como tirar a Permissão Internacional para dirigir (PID)

Porém, se você pretende viajar sozinha,  alugar um carro pode sair mais caro e ainda não ser tão seguro encarar as longas distâncias sem conhecer bem os caminhos. As estradas são boas, mas eu não recomendaria viajar sozinha de carro, apesar de não ter me sentido insegura em nenhum momento no país. Mas só quem poderá decidir é você, então pesquisei mais sobre o assunto e encontrei estes artigos que podem te ajudar a decidir.

Blog Viajar pelo Mudo – Dirigir no Marrocos Sim ou Não?

Tempo de Viajar – Como Escapar à Gendarmerie Royale

Contratar um empresa de turismo especializada

Se você quer curtir a experiência confortavelmente, o melhor é mesmo contratar uma empresa especializada. Fizemos o circuito de carro com a agência El Encanto de Marruecos, já que estávamos em um grupo com 16 mulheres. Contamos com a companhia do Ismail Timegharine, proprietário da empresa, durante toda a nossa viagem e isso foi essencial para não perdermos tempo, para fazermos refeições na estrada em bons locais e também para enriquecer as paradas nas vistas panorâmicas ao longo do caminho.

Ismail Timegharine e Mohamed Azroual nossos queridos anfitriões nesta experiência maravilhosa!

Muito cuidado na hora de contratar empresas e guias de turismo no Marrocos. Ao andar pelas ruas, você será abordado por inúmeros “guias” e “empresas sérias” oferecendo passeios “em conta”. Saiba que tanto os guias, como empresas de turismo e transporte precisam de uma licença e /ou certificação do Ministério de Turismo do Marrocos. Só contrate empresas que apresentarem a licença emitida pelo governo ou que sejam recomendadas por pessoas que tiveram uma boa e segura experiência.

Trem, Ônibus e Grand Táxis

Você também pode se deslocar pelo país de ônibus, trem e com os Grand Táxis (carros antigos compartilhados cobrados por pessoa). Os táxis podem ser encontrados nas praças principais das cidades e para consultar os itinerários, horários e preços de trem e ônibus, acesse os links das empresas:

Eu não tive essa experiência durante a viagem, mas deixo alguns posts que li antes de viajar e que podem ser muito úteis no seu planejamento.

Blog Tempo de Viajar – Transportes Locais em Marrocos

Blog João Leitão – Transportes em Marrocos 

Uma novidade é que deverá entrar em operação – previsto para Junho 2018 -, a LGV (Ligne à Grand Vitesse), trem de alta velocidade, nos mesmo moldes do TGV da França, que ligará Tanger, Rabat e Casablanca em apenas 2 h 20 min, contra as atuais 4 h 45 min.

Segurança

Nas medinas das grandes cidades como Marrakech, por exemplo, batedores de carteira e furtos são comuns. No caso de Marrakech, principalmente, na Praça Jemaa el-Fna, no meio daquela confusão de barracas, encantadores de serpente, música e mil pessoas zanzando pra lá e pra cá, meninos te cercam para vender alguma bugiganga. Se você estiver distraída, são apenas alguns segundos para eles tentarem abrir a sua bolsa, sem você nem perceber. Então, mantenha sempre a sua bolsa grudada ao corpo e na sua frente. Jamais deixe a sua mochila nas costas ou vai voltar sem seus pertences. Apavorante? Não. Nada que não aconteça por aqui, com a diferença de que lá não há armas de fogo ou facas envolvidas. Uma coisa é certa: muita atenção nas grandes cidades!

Nosso guia nos contou, infelizmente, que em Marrakech já há furtos de celular, usando motos. Muito parecido com o que acontece por aqui, né? Uma pena 🙁

Você deve ter cuidado com “presentinhos” de estranhos, com guias oferecendo passeios muito baratos ou pessoas oferecendo para te guiar e/ou ajudar a encontrar o caminho de volta nas medinas. Você será cobrada por cada uma dessas coisas e a experiência pode não ser nada segura.

Viajar para o Marrocos sozinha

Sobre ser mulher e viajar para o Marrocos, li muitas coisas na internet que não chegaram nem perto da realidade que vivi. Fizemos muitas recomendações ao grupo antes da viagem, afinal estávamos em 16 mulheres, – sempre no sentido do respeito aos costumes – e nos surpreendemos positivamente em relação ao tratamento recebido no Marrocos. Não me senti insegura em nenhum momento, apesar de saber que há problemas sim, como na maioria das grandes cidades do mundo.

Me pergunto se essa sensação de segurança que tive se deu apenas porque estávamos acompanhadas de guias locais homens ou se o Marrocos, devido ao grande crescimento do turismo, está se modificando aos poucos. Em breve, saberei as respostas, mas na dúvida, sempre convém seguir aquelas regrinhas básicas de segurança, que você já conhece e adota por aqui e em outros lugares no mundo.

Baixe o E-Book Viajar Sozinha em Segurança

Minha experiência nesta viagem não foi sozinha, como você sabe, mas como já disse, não me senti insegura ou vivi alguma situação que acendesse a luz vermelha e fizesse meu espírito de orelha falar alto. Acho que dá perfeitamente para viajar sozinha para o Marrocos, mas acredito que a infraestrutura da viagem, para aproveitar melhor, sem stress e absorver tudo o que o Marrocos tem para oferecer, requer muita pesquisa e uma ótima infraestrutura.

Quando falo em infraestrutura quero dizer pagar um pouco mais caro e ficar em locais recomendados, contratar agências confiáveis e guias para andar nas medinas. Isso porque, nas medinas, há uma chance alta de você se perder entre mil ruelas, com aspecto não muito bonito e a sensação não vai ser legal. Mas sobre a experiência de viajar sozinha para o Marrocos, em breve, volto para contar.

Sobre a mulher e o que vestir

Em relação a roupas, você não precisa de nada que já não tenha no seu armário. Não, não precisa comprar roupas mais sóbrias e compridas e nem se cobrir toda. O Marrocos é um país muçulmano, mas bastante liberal em relação aos turistas. Vi pessoas vestidas de tudo quanto é jeito e muito à vontade pelas ruas. O tal lenço para cobrir a cabeça e ombros usei somente no deserto para entrar no clima de aventura berbere e para me proteger do sol e da areia. Nem mesmo na segunda maior mesquita do mundo, Hassan II, em Casablanca foi obrigatório usar. Mas lembre-se sempre de verificar as regras – que podem mudar – antes de visitar as Mesquitas.

O que recomendo sempre e é básico para qualquer pessoa que viaje para explorar destinos diferentes é o respeito a cultura local. Neste caso, convém evitar roupas “mais ousadas” – para os marroquinos -, bastante comuns no Brasil (saias e vestidos mais curtos, blusas de mangas cavadas, tops, shorts, etc. E isso é extremamente importante, se você estiver viajando durante o ramadã, como aconteceu comigo.

Mas, se mesmo assim você quiser usar o que costuma usar no Brasil, o máximo que vai acontecer é você atrair os olhares, chamando muita a atenção dos homens e ainda ouvir algumas “gracinhas” em árabe. Eu prefiro evitar chamar a atenção nas viagens estando sozinha ou em grupo. Usei sempre camisetas e blusas de manga curta, calças e algumas vezes vestidos abaixo do joelho. Os lenços – novos e muito coloridos – apenas em volta do pescoço para puro charme!

O que não pode faltar na sua mala

  • Tênis ou sapatos comfortáveis
  • Protetor solar, Óculos de sol e Boné ou chapéu
  • Lenço ou pashmina para entrar no clima marroquino
  • Roupas confortáveis e um bom casaco para a noite no deserto
  • Remédios que você está acostumada a usar

Acesso à Internet

A maioria dos restaurantes que frequentamos, assim como os hotéis onde nos hospedamos ofereciam wifi, inclusive no acampamento no deserto. Porém, a conexão nem sempre era boa. Optamos em comprar um chip local e encontramos três opções:

Optamos, por orientação de nosso guia, pelo chip 4G+ da Maroc Telecom, que funcionou perfeitamente em toda nossa viagem, inclusive na estrada. Pagamos 3€ (300 DH) pelo chip e 5 € (50 DH) pelo pacote de dados para 30 dias (Valores Maio 2018).

Hospedagem

Para ter uma experiência autêntica no Marrocos, sugiro  fugir das redes de hotéis e experimentar as hospedagens típicas do país:

  • riads, palacetes ou casas restauradas, com quartos voltados para um jardim interno;
  • dars, casas no mesmo estilo dos riads, porém menores e com ambientes mais intimistas;
  • haimas, as tendas árabes no deserto;
  • kasbahs, espaços ou casas fortificadas, construídas de adobe e origem berbere.

Leia também >> Onde se hospedar no Marrocos

Consumo de álcool

Viajar para o Marrocos Chá de Menta

Como já comentei anteriormente, o Marrocos é um país bastante liberal e inclusive produz bebidas alcoólicas, porém o consumo por parte dos marroquinos não é permitido e também beber na rua ou em parques, nem pensar.

Com o crescente aumento do turismo, não é impossível encontrar cerveja e outros tipos de bebidas alcoólicas, como os vinhos marroquinos, mas quase sempre em hotéis, bares e até mesmo supermercados – autorizados -, quase sempre espaços voltados aos turistas.

Não é permitida a venda para os marroquinos, então, se você for frequentar restaurantes locais, por exemplo, onde os marroquinos costumam ir, dificilmente vai conseguir beber algo que não seja o maravilhoso chá de menta.

Em pleno ramadã, indo em direção ao deserto, conseguimos comprar algumas cervejas pela porta dos fundos de um bar e saímos com as sacolas escondidas. Já em Casablanca, no meu último dia no país, foi impossível encontrar uma cerveja.

Compras

Com uma habilidade impressionante, os marroquinos vão te encantar com tantos trabalhos manuais incríveis. Fica difícil não se deixar levar por tantas coisas lindas ao caminhar pelos souks (mercados). São tapetes,  antiguidades, cerâmicas, luminárias, almofadas, roupas tradicionais, lenços coloridos, bules e copos lindíssimos para servir o chá marroquino, bijuterias em prata e a lista não para por aí. Ainda tem os temperos e todos os produtos feitos a base de argan, ou como é conhecido, o ouro marroquino. Mas falo isso mais detalhadamente em outro artigo.

Leia também >> O que comprar no Marrocos (em breve)

Fotografando locais e pessoas

Viajar para o Marrocos Vendedor de Água
Imagem: Pixabay

O Marrocos possui uma cultura bastante diferente da nossa, o que causa bastante interesse e muita vontade de fotografar tudo e todos. Porém, você deve ter atenção para algumas situações importantes.

Fique atenta ao fotografar palácios, missões diplomáticas, edifícios governamentais e, principalmente, a polícia. Tudo que tenha a ver com área militar ou de segurança nacional pode acarretar em problemas para você. Olha o que aconteceu comigo sem eu nem perceber.

Na entrada da cidade de Ouarzazate, conhecida coo a Hollywood da África, havia uma barreira policial que eu nem percebi. Estava no carro no banco dianteiro e resolvi tirar uma foto da claquete de cinema gigante. Fomos parados imediatamente e questionados a respeito da foto. O policial foi educado e gentil, mas pediu para ver a foto. Ele estava lá na imagem, num cantinho que eu provavelmente cortaria depois e eu nem tinha percebido. Tive que apagar a foto na frente dele.

De acordo com nosso guia, eles tem o maior cuidado em relação a aparecerem em fotos e vídeos, pois já houve muita divulgação de cenas de corrupção com a polícia marroquina. Já por outro lado, fomos com guia nas dependências externas da casa do rei e tiramos mil fotos sem nenhum problema. Vai entender! Então, vale ficar atenta.

Outra questão sensível, e daí acho que vale para qualquer lugar, é tirar fotos de pessoas sem autorização. Era normal caminhar nas medinas lotadas de gente e, como eu estava com a câmera a postos, as pessoas abaixavam o rosto ou saiam da minha direção, mostrando claramente que não queriam aparecer nos meus registros.

Tirei poucas fotos de pessoas e sempre de muito longe, na estrada, etc. Costumo me colocar no lugar destas pessoas e acho que eu também não gostaria que tirassem fotos minhas sem eu saber. Isso quer dizer que não vai poder tirar fotos dos marroquinos? Vai sim, basta pedir autorização e muitos – a maioria – vão te pedir dinheiro por isso. Acho justo!

Se você chegou até aqui, parabéns! Muitas informações, não? Mas ainda vem muito mais, pois foram muitas experiências ricas e muito interessantes. Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários que terei prazer em responder.

Agora dá uma olhadinha no vídeo para sentir o clima 😉

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Denise. Adorei seu post. Estou mais animada com minha viagem para o Marrocos. Vou em dezembro e confesso que os posts que li, me deixaram muito preocupada, pois falavam sobre ser enganado e ou atacados nas ruas por guias locais, vendedores, taxistas, batedores de carteiras, etc., etc, achei horrível. Vou viajar com meu marido, ele tb ficou muito preocupado com esses comentários. Penso que devemos tomar cuidados e ter respeito a cultura local, como temos em qualquer outro país, e como queremos que tenham por nós, em nosso país. Sei que o Marrocos é um país com uma cultura bem diferente da ocidental, logo estranharemos em algum momento alguns costumes. Gostei das dicas da fotos, vi em outros posts que as fotos foram tiradas escondidas de longe, sem o marroquino saber, com uma câmera profissional, sob a justificativa que o marroquino cobra pela foto, achei desrespeitoso, pq se o marroquino cobrar pela foto, penso que podemos decidir se vamos pagar ou não, mas foto sem a pessoa saber, acho feio, não queria que fizessem comigo.. Gostaria que vc falasse sobre o “barganhar” nas compras, dizem que a barganha lá é cultura. Um bj e muito obrigada pelas dicas e esclarecimentos!!

    • Olá Karina, tudo bem ? Você será abordada sim, mas não atacada. Alguns vendedores te perseguem pela medina querendo vender algo. Vão te seguir e falar falar falar. Entenda, ele quer vender e isso acontece aqui no Brasil também. Não dê bola e siga seu caminho. É chato? Muito chato, mas é assim mesmo. Sobre barganhar é cultural, mas não pense que vai conseguir baixar um preço pela metade. Alguns nem baixam os preços. Negociando com um cara, cheguei a ouvir em uma loja em Fez que pra ele tanto fazia se eu ia comprar ou não. Isso porque pedi desconto e éramos 16 pessoas fazendo compras. Ele foi extremamente grosseiro. Obviamente, saímos da loja e fomos pra outra. O vendedor ficou com cara de idiota e meu guia ainda levou esporro, já que ele nos levou lá! rs rs rs O Marrocos é um país maravilhoso, na minha opinião! Há quem ame e há quem odeie. Como digo, o melhor é estar com guia. Ameniza bastante. Boa viagem!

  2. Oi Denise!! Completo e detalhado. Tudo que precisamos saber para uma viagem como essa. São muitas informações valiosas, experiências que nos ajudam bastante. Adorei ter participado desse desafio. Bjo

  3. Excelentes orientações, Denise! Seguindo teu texto me senti viajando contigo, você conduz o leitor a uma maravilhosa viagem pela imaginação, ativando belas e ricas sensações que nos movem pelo desejo em realizar essas preciosas vivências.

  4. Mais completo e detalhado é impossível. Tudo que precisamos saber para uma viagem como essa, está aqui. São muitas informações valiosíssimas, experiências que nos ajudam bastante. Adorei saber de um tudo. Fiquei pensando quanto às prioridades na hora de fotografar. O guarda fez você apagar a fotografia dele, mais deixaram registrar outros lugares que eu achei que iriam proibir. Amei poder conhecer mais sobre Marrocos, um lugar fascinante e envolvente. Obrigada pelo passeio no stories.

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.