como-lidar-com-a-familia-quando-voce-viaja-sozinha

Quando a gente resolve viajar sozinha, raramente, temos incentivo e apoio incondicional da família e até de alguns amigos. E isso é mais comum do que você pensa! Acontece comigo até hoje! Com todas as coisas que ouvimos a respeito da violência contra a mulher; com os comportamentos machistas, ainda encarados como naturais em pleno século XXI, não é de se estranhar que as pessoas que mais gostam da gente, se preocupem e acabem tentando nos demover da ideia. Recebo muitos emails a respeito desse assunto e quero aqui dar algumas ideias de como lidar com a família quando você viaja sozinha.

Não sou psicóloga e nem entendida desta área. São apenas sugestões e ideias que me ocorrem, quando sou questionada a respeito desse assunto. Para cada pessoa e família é diferente. Há muitas questões em jogo, então, não há garantias que possam funcionar. Mas podem ser tentadas, não?

Encare numa boa

Acho que a primeira coisa que devemos fazer é tentar levar estas “críticas” numa boa e não estressar. Já temos nossos desafios internos para lidar e isso seria too much. Muito menos devemos desanimar com a viagem. Não é fácil, eu sei, porque são pessoas próximas e que você esperava ter apoio. Mas é, justamente, porque elas gostam de você, que acabam fazendo algumas afirmações “tortas” como forma de argumento. Se você entrar nessa e se irritar, não vai resolver nada. Só vai ser mais um obstáculo para lidar.

Observe que, no caso dos pais, não importa a idade que eles ou você tenha, na maioria da vezes, ainda a vêem como um bebê, com um sentimento grande de proteção e posse. Minha mãe tem 85 anos e, mesmo que eu já tenha chegado aos 49, já tenha viajado muito sozinha e more longe deles há 25 anos, sempre está preocupada. Normal. E eu tento administrar da maneira que posso. Já me estressei muito e, por isso, posso afirmar com muita tranquilidade e verdade: não adianta nada, você só gasta energia a toa. Mas… que tal outro tipo de atitude?

Ouça e entenda exatamente o que os preocupa

Tá mas e aí? Ignoro minha família? Viro as costas e vou? Sim e não! Sim, vá de qualquer maneira e não desista do seu sonho. Não, não vire as costas, mas entenda nos mínimos detalhes tudo o que os aflige, incomoda, os deixa apavorados. OUÇA, antes de despejar mil argumentos sobre a sua idade, sua vontade, sua capacidade, seu direito e tal!

Quando a gente entende o que está por trás das preocupações, das crenças limitantes sobre viajar sozinha, fica mais fácil argumentar e até os fazerem mudar de ideia. Se você não conseguir 100% de aprovação, ao menos entenderá e poderá amenizar a situação. E é isso o que queremos! E, não a Terceira Guerra Mundial, com as pessoas de quem gostamos e que se preocupam, genuinamente, com a gente.

Explique porque isso é importante para você

Acho que fazê-los entender as suas razões também faz parte do processo e é super importante. Você já os ouviu, certo? Agora é a hora de eles entenderem o quanto isso é importante pra você, quais são as suas motivações e o que você vai ganhar com tudo isso.

Partindo do princípios de que essas pessoas gostam e se preocupam com você, não tem como elas não entenderem. Nem que seja um pouquinho. E vai haver algumas pessoas que vão até entender, mas não concordar, certo? Não se abale com isso. Não conseguimos agradar a todos com nossas escolhas.

Traga-os para dentro do seu sonho

Quando mostramos o quanto essa viagem é importante para nós (dica acima), acabamos trazendo-as para dentro do nosso sonho. Elas tem a chance, se quiserem, de participar disso tudo dando o apoio que você precisa. Converse com eles sobre seus planos, pergunte a eles o que acham? Se tem uma dica. Traga-os pra perto de você e dos seus sonhos.

Agora tem uma coisa: pode acontecer e pode não acontecer desta forma. E você terá que saber lidar, se isso não der certo.

Mostre como você se preparou 

Eu sempre falo que o planejamento é um dos grandes responsáveis para o sucesso da viagem solo e também um dos fatores que vai amenizar a sua angústia, ansiedade e até o medo que sempre surge em nosso caminho e que temos que enfrentar.

E o que mais vejo na reação dos familiares e pessoas próximas é também o medo de que algo dê errado, medo de que algo ruim possa acontecer com você. E, quando mostramos que estamos bem preparados para as coisas que podem acontecer; que pesquisamos bastante sobre o nosso destino; que sabemos o que fazer e o que não fazer, as coisas acabam se acalmando um pouco. Acho que a gente consegue passar uma tranquilidade maior a eles e, obviamente, isso tudo é super importante para você também. Para que a viagem aconteça da melhor maneira possível.

Mostre seu plano B

Plano B? Mas como assim? Pense no que poderia dar errado em sua viagem. Mas sem muita paranoia, por favor. Vamos a um exemplo:

Reservei um hotel que achei maravilhoso e perfeito. Cheguei lá e achei tudo uma droga, fica numa localização não muito favorável. O que fazer? Desesperar? Não, claro que não. Lembra que quando você estava planejando, viu vários outros hotéis legais? Não vai ser nenhum drama se mudar, não é mesmo? Vai perder um din din, mas seu conforto e seu bem estar valem cada centavo. Então, tenha um plano B para a sua hospedagem.

Tenha um plano B para se você for roubada e ficar sem dinheiro. Tenha um plano B para se roubarem seu passaporte. Pense nas coisas que podem acontecer – de novo, SEM PARANOIA, achando que tudo vai dar errado – e saiba como solucioná-las. Estas coisas que mencionei acontecem você viajando sozinha ou acompanhada.

Dê exemplos de sucesso

Hoje em dia existem vários blogs, além do meu, que falam sobre a experiência de viajar sozinha. Existem várias pessoas, além de mim, que viajam o mundo sozinhas: mais novas, mais velhas, da minha e da sua idade.

Cada vez mais pessoas pegam a estrada sozinhas com objetivos diferentes: algumas buscam autoconhecimento, outras apenas gostam de fazer desta forma, outras largam tudo e vão pra estrada morar e trabalhar por lá; outras acabam um relacionamento e resolvem tentar se achar por aí. Cada uma tem a sua motivação, mas o que não falta são histórias de sucesso. Histórias que deram certo, que não tiveram perrengues, mulheres que não foram assaltadas, assediadas, mortas e escalpeladas. Que horror, né? Mas é isso que a gente ouve por aí.

As pessoas que me perguntam o tempo todo se já passei aperto, se tenho uma história horrível pra contar de assédio. Desculpe pela decepção, mas não tenho. Pelo menos até hoje.

Explique que você está a um click de distância

Acho que nem preciso mencionar aqui todas as formas de comunicação online e gratuitas que temos hoje em dia. A não ser que seu destino e objetivo de viagem seja um retiro de total silêncio, é possível mandar notícias diárias para acalmar os corações aflitos de mães e pais. Então, mostre a eles que você estará disponível e “alcançável” o tempo todo e que vai se comunicar, dando notícias e compartilhando a sua experiência com eles.

Peça para eles confiarem em você

Bom, por último, eu tenho um argumento imbatível… hahahaha  Eu lembro de ter falado isso pra minha mãe uma vez, mas em outra situação. Nem era em relação a viagem. Olha o que disse: você que me educou, então, por favor, confie em mim e no que estou fazendo. Super chantagem emocional, né? Você não precisa chegar a isso! rs rs rs Basta você pedir um voto de confiança no seu discernimento, na sua capacidade de realização. Lembre-se que eles querem o seu bem e gostam de você. Não vai ser difícil.

Como disse no início desse texto, não sou especialista na área, sou metida a falar o que penso e o que faço. Cabe a você avaliar o que pode servir ou não! Espero ter ajudado um pouquinho.

 

Compartilhar
Artigo anteriorO plágio nosso de cada viagem!
Próximo artigoSozinha no Oriente Médio
Cariúcha da gema, amante de um bom livro e de dias chuvosos. Descobriu faz um tempão que viajar sozinha é uma experiência incrível e que muda toda a perspectiva da vida! Agora, se denomina viajante solo por paixão e opção! Idealizadora da Solo Travel Week e do Programa Viajante Solo, seu objetivo é incentivar cada vez mais mulheres a viajarem sozinhas.

1 COMENTÁRIO

  1. […] Da minha conterrânea (Porto Alegre), Denise Tonin, esse blog é especial para mulheres que tem vontade de viajar sozinhas, mas por algum motivo não o fazem. Vale ler. A Denise dá boas dicas no Viajante Solo  […]

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here