Cromeleque dos Almendres o maior círculo de menires da Península Ibérica

Conhecer o Cromeleque dos Almendres e a Anta do Barrocal foi uma das coisas mais interessantes e surpreendentes da viagem a Portugal. Situado a poucos quilômetros de Évora, na aldeia de Nossa Senhora de Guadalupe, o Cromeleque dos Almendres é considerado o maior conjunto megalítico da Península Ibérica, com 95 menires. Pertinho dali também tive a oportunidade de visitar a Anta do Barrocal. A região de Évora abriga muitos outros locais, onde é possível ver os traços deixados pelas civilizações pré-históricas.

Veja aqui os pontos de interesse da Évora Megalítica

 

Monumentos Megalíticos

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal3

Para você entender um pouco mais, os monumentos megalíticos (mega de grande e lithos de pedra) são construções com blocos de pedras, feitas pelos povos da pré-história, que viveram no período neolítico. Foi nessa época que os povos deixaram de ser nômades e passaram a viver em sociedade, se fixando em determinadas regiões e criando esses monumentos que, acredita-se, terem como objetivo a prática de rituais religiosos, fúnebres e também o culto aos astros e a natureza.

Cromeleque dos Almendres

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal

O Cromeleque dos Almendres só foi descoberto nos anos 60 pelo arqueólogo Henrique Leonor Pina. Na época, os menires estavam caídos por terra e sua atual disposição foi baseada em estudos que aconteceram dos anos 60 aos 90. Estes estudos também comprovaram que os menires tem origem entre o sexto e o quinto milênio antes de Cristo, o que o torna anterior ao famoso Stonehenge, localizado no sul da Inglaterra.

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal5

Chegamos de carro e estacionamos a alguns metros da entrada. O caminho pela estradinha de terra batida tem diversos sobreiros – a árvore de onde se extrai a cortiça – e também a linda flor esteva, típica da região.

Cromeleque dos Almendres Esteva
Esteva

Ao chegarmos ao Cromeleque nos deparamos com uma espécie de clareira, onde estão dispostos os 95 menires de formatos e tamanhos diferentes, distribuídos em forma quase elipsoidal, com seu eixo orientado para o Este-Oeste.

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal1

Pensa na emoção de andar por entre os menires, que devem ter sido construídos por volta de 6 mil anos antes de Cristo. Realmente foi bastante emocionante imaginar como estas civilizações viviam e qual o sentido da disposição das enormes pedras.

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal2

Que tipos de rituais eram feitos ali? Qual o sentido da posição de cada um deles? O que significam os desenhos incrustrados nas pedras?  Enfim, um lugar com uma aura totalmente mágica e misteriosa, que faz a nossa imaginação vagar e vagar.

O João Godinho e o Francisco Banha, da Backcountry Tours, com quem fiz o passeio, contam algumas histórias a respeito do local, mas isso deixo para você descobrir quando for vistar o Cromeleque, certo?

Lei também >> Viajar Sozinha para Évora

Cromeleque dos Almendres Evora Portugal4

Anta do Barrocal (ou de Tourega)

Mas nosso passeio não encerrou no Cromeleque dos Almendres. Perto dali fizemos outra parada na freguesia de Nossa Senhora de Tourega para conhecermos a Anta do Barrocal.

Desta vez tratava-se de um dolmem (ou Anta), um monumento megalítico funerário, também construído com pedras enormes que pesam toneladas e que se parecem com uma “casinha”. Nesta região há uma dezena de monumentos funerários como esse, o que faz crer ter sido a necrópole destas civilizações.

Nosso passeio seguiu para a Villa Tomana de Tourega, mas deixo para contar em outro artigo. Gostei tanto de conhecer estes locais que comecei a pesquisar mais sobre o assunto e pretendo voltar a Évora, em breve, para terminar de explorar essa região tão rica historicamente e visitar os outros pontos do roteiro Évora Megalítica.

Cromeleque dos Almendres Backcountry Tours
Francisco Banha e João Godinho, da Backcountry Tours, e Denise Tonin

Informações Práticas

A instalação está em um propriedade particular, mas não há cobrança para a visita aos menires. Procurei por informações para chegar por conta própria, mas não encontrei nenhum transporte. Então, para visitar o lugar o ideal é você contratar um passeio privado ou alugar um carro para explorar a região.

Denise Tonin fez este passeio à convite da Backcountry Tours, porém o texto é isento e reflete a experiência real da autora durante o passeio.

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.