Viajar Sozinha para a Polonia Gdansk

Conhecer Cracóvia estava na minha listinha e viajar sozinha para a Polônia sempre me pareceu bastante tranquilo e seguro. A Polônia é um país europeu relativamente barato, se comparado ao Reino Unido e França e, nos últimos anos, vem ganhando mais e mais popularidade entre os viajantes ao redor do mundo todo.

Acabo de chegar de viagem e viajar sozinha para a Polônia foi super tranquilo, seguro e bastante enriquecedor. Já está nos meus planos voltar ao país e explorar outras cidades menores, pois gostei bastante da minha experiência em Varsóvia e Cracóvia, destinos escolhidos para essa primeira viagem pelo país.

Leia também >> Como planejar a primeira viagem sozinha

Anos e anos de domínio soviético, unidos à destruição causada pela Segunda Guerra Mundial, contribuem para que o turismo na região seja um dos mais especiais – e eu diria também, denso – na Europa. Exatamente por isso, a Polônia é o destino ideal para quem quer revisitar a história, entender uma cultura bastante diversa da nossa e também conhecer um pouquinho do lado oriental da Europa.

Separei algumas dicas práticas que podem ajudar a organizar a sua viagem, caso você resolva viajar sozinha para a Polônia.

Idioma

O idioma falado na Polônia é a língua polonesa, mais conhecida como “polonês” aqui no Brasil. Este é um idioma eslavo ocidental (assim como o eslovaco e o tcheco) e, por isso, entendê-lo é quase impossível. Imagina que quando eu estava lá, meu Google Maps mudou para polonês e foi quando eu vi o quão impossível é entender qualquer coisa.

Já reservou hotel para a sua viagem ? Confira as melhores tarifas com cancelamento gratuito!

Apesar de usar o mesmo alfabeto que usamos no português, a língua polonesa possui algumas letras diferentes que levam um ponto ou um risquinho, como Ś e Ż.

Mesmo que você não vá falar qualquer palavra em polonês é interessante que a gente saiba como são pronunciadas algumas letras da língua polonesa:

  • Ć, ć = som de “tch”
  • Ę, ę = som de “om”
  • Ł, ł = som de “ui” ou do “w” no inglês
  • Ń, ń = som de “nh”
  • Ó, ó = som de “u”
  • Ś, ś – som de “ch”
  • Ż, ż = som de “j”

Sempre acho bom a gente aprender algumas palavrinhas no idioma do país que vamos visitar, mas confesso que pouco me arrisquei, assim como aconteceu comigo na Grécia. Muito por conta de ser bem difícil de memorizar!

  • Oi/Tchau- Cześć (pronuncia-se “testchi”)
  • Bom dia/Boa tarde – Dzień dobry (pronuncia-se “dien dobre”)
  • Sim – Tak
  • Não – Nie
  • Obrigado – Dziękuję (pronuncia-se “tchincuia”)
  • Por favor/De nada – Proszę (pronuncia-se “prósse”)
  • Você fala inglês? – Czy mówisz po angielsku? (pronuncia-se “si muvis po anguieuscu?”)

Moeda

Zloty

Diferente da maioria dos países da Europa, a Polônia não utiliza o euro. Isso ocorre porque, apesar de pertencer ao Espaço Schengen , o país não faz parte da Zona do Euro. Deste modo, a moeda oficial da Polônia é o Zloty e é conhecida pela sigla PLN ou zł.

O zloty costuma ser menos valorizado do que o real, o que colabora para que os gastos em uma viagem sozinha na Polônia sejam mais baixos do que uma viagem para outro país da Europa. O consulado brasileiro indica que é recomendável levar o equivalente a 100 Zlotys para cada dia de viagem. A moeda mais indicada para a troca por zloty é o euro.

Leia também >> Como levar dinheiro em viagens internacionais

Por ser uma moeda de baixa circulação, é praticamente impossível encontrar a moeda polonesa em casas de câmbio no Brasil. Por isso, o recomendável é levar o seu dinheiro em euro e trocá-lo ao chegar na Polônia.

Lá, procure por uma Kantor, que é o termo para identificar as casas de câmbio. Evite trocar dinheiro no aeroporto, estação de trem ou rodoviária, pois as taxas costumam ser mais altas do que nos demais locais. Troque apenas o essencial para fazer o deslocamento até a sua acomodação e depois informe-se com o seu hotel onde há uma casa de câmbio próxima e confiável.

Fuso horário

Todas as cidades da Polônia seguem o mesmo fuso horário, que costuma ter 4 ou 5 horas a mais que o Brasil (horário de Brasília). Durante o horário de verão, que inicia no final de março e termina no final de outubro, a Polônia tem 5 horas a mais que o Brasil. No resto do ano, de novembro a março, o país está 4 horas à frente do Brasil.

Energia & Tomadas

O modelo de tomada utilizado na maioria das cidades polonesas é do Tipo E, que possui dois pinos arredondados e paralelos e um pequeno orifício no topo. Este tipo de plugue de tomada também é utilizado na França, Bélgica, Eslováquia e República Checa. Lembre-se de levar um adaptador universal e evite ficar na mão durante a sua viagem para a Polônia.

Leia também >> Plugues de tomada ao redor do mundo

Seguro Viagem & Vacina

Até o momento em que escrevi esse post (Jun 2019), não é obrigatório tomar nenhum tipo de vacina para viajar para a Polônia. No entanto, é indicado que você esteja com as vacinas em dia, especialmente para Hepatite B, tétano e difteria.

Leia também >> Como tirar o Certificado Internacional de Vacinação (CIVP)

Já o seguro viagem é obrigatório para brasileiros, uma vez que a Polônia faz parte do Espaço Schengen. Conforme as regras estipuladas pelo Tratado de Schengen, turistas precisam ter seguro viagem internacional com cobertura no valor mínimo de € 30 mil euros, que cubra assistência médica em caso de acidente ou doença, bem como repatriação por motivos de saúde.

Os custos médicos no exterior são bastante altos e não vale a pena correr o risco de viajar sem um bom seguro viagem, ainda mais se você está viajando sozinha. Lembre-se que o seguro viagem não é, nem de longe, o custo mais alto de uma viagem e, caso aconteça alguma coisa com você, não precisará se preocupar com pagamentos e buscar os melhores locais para se tratar. O seguro é que vai cuidar de tudo isso e você vai se preocupar apenas em ficar bem.

Visto & Documentos

Não é necessário emitir visto para visitar o país, se você pretende ficar por lá até 90 dias e a turismo. Você só precisa possuir um passaporte com validade mínima de 6 meses e, do passaporte, é importante que você leve consigo os seguintes documentos:

  • Passagens de ida e volta
  • Voucher de hospedagem
  • Comprovantes financeiros de que você possui dinheiro suficiente para se sustentar durante a viagem (cartão de crédito, declaração de saldo do banco, contracheques, etc.)

Esses documentos podem ou não ser pedidos na imigração, mas não custa nada levá-los por precaução.

Leia também >> Documentos exigidos para entrar na Europa

Brasileiros que pretendam permanecer na Polônia por mais de 90 dias, podem obter um visto chamado Nacional D. Mais informações podem ser obtidas no site do Consulado Geral da Polônia.

Viajar Sozinha para a Polônia – Segurança

Viajar Sozinha para a Polônia é seguro?

Em geral, a Polônia é um país seguro e você pode circular tranquilamente pelas cidades, especialmente as turísticas como Varsóvia e Cracóvia, por onde andei. Me senti sempre bastante segura andando por lá e sempre penso que boa parte da minha segurança se deve ao fato de eu morar no Rio de Janeiro. Por isso, quando chego nas cidades, sempre procuro perguntar pra outras pessoas como é a segurança e a resposta que recebi foi sempre a de que não há qualquer problema.

No entanto, é sempre importante manter um grau moderado de cautela. Fique sempre atenta ao que está acontecendo ao seu redor. Também preste atenção aos seus pertences quando estiver em ambientes muito movimentados, onde pode haver batedores de carteira.

Melhor Época para ir

Como opção pessoal, sempre opto em viajar durante a primavera ou outono. Só que nesta minha viagem de três meses pela Europa, acabei indo para a Polônia no início do verão. Então, tenha em mente que:

Não esqueça de contratar seu seguro viagem, obrigatório na Europa. Compare os melhores planos e seguradoras  para o seu seguro viagem.

  • Março a Maio – Primavera, com temperaturas variando entre 1 °C a 17 °C
  • Junho a Setembro – Verão, com temperaturas que chegam a 30 °C ou mais
  • Setembro a Novembro – Outono, com temperaturas que variam entre 0 °C e 20 °C
  • Dezembro a Fevereiro – Inverno, podendo chegar a -9 °C

Sempre consulte aplicativos de meteorologia, pois o clima no mundo vem mudando a cada ano. Uso bastante o AccuWeather onde você pode ver as temperaturas médias em cada mês.

Hospedagem

O país é muito bem servido com todas as opções de hospedagem que você pode imaginar. Em relação aos preços, são bem mais em conta do que em outras cidades da Europa. Mas tem uma coisa que você deve observar e que eu errei: antes de reservar seu hotel, cheque se eles possuem ar condicionado. Te explico o porquê.

Sempre que a gente pensa em Polônia, algumas imagens vem a cabeça: holocausto, frio e vodka, não? É um pouco a imagem clichê do país. Pois bem, fui para a Polônia em Junho e jamais pensei no calor que ia passar. Em Cracóvia, escolhi o Corner Hotel, excelente em tudo, porém sem ar condicionado. Por mais que eles tenham arrumado ventiladores e tenham feito de tudo para eu ficar bem, sofri demais com o calor, pois chegou a fazer 36 graus. Já em Varsóvia, no Mamaison Diana tinha ar condicionado em todo o hotel e foi a melhor hospedagem dessa viagem.

O que percebi é que a Polônia e vários outros países da Europa não estão preparados para as altas temperaturas que vem acontecendo por conta do aquecimento global – sim, ele existe. Então, fique ligada nesses detalhes, caso você vá viajar por lá no verão, pois não dormir bem vai impactar negativamente nos seus dias de passeio e isso pode perturbar a sua viagem.

Internet 4G

A opção mais prática para estar conectada o tempo todo durante a viagem é já sair do Brasil com um chip ativado e funcionando. Isso vai te economizar tempo e evitar a dificuldade na loja com o idioma na hora de comprar o sim card e escolher o pacote de dados adequado para o seu tempo de viagem.

Mas claro que, se você falar inglês e tiver tempo disponível no seu roteiro, poderá comprar um chip local que custa entre 10 e 15€. Depois é só escolher o pacote de dados mais adequado ao seu tempo de viagem e uso do celular. Algumas das operadoras disponíveis na Polônia são: Vodafone, T-Mobile, Orange Polska, Play, Red Bull e Virgin.

Leia também >> Como usar o WhatsApp em viagens internacionais

Como desde 2017 não existe mais o roaming entre os países do Espaço Shengen, isso quer dizer que se você comprar um chip na França, ele vai funcionar igualmente na Polônia, sem cobrança de taxas por estar usando em outro país. Eu comprei um chip da Orange ao chegar em Paris e usei ele em todos os países por onde passei na viagem de 3 meses pela Europa: Holanda, Itália, França, Polônia, República Tcheca, Áustria, Eslováquia e Hungria.

Como chegar e se deslocar

Avião

Viajar Sozinha para a Polonia LOT Companhia Aérea Polonesa
Imagem Divulgação LOT

Apesar de não existirem voos direto do Brasil para a Polônia, as principais companhias aéreas globais oferecem o trajeto com uma ou duas escalas, passando por outros países europeus. Então, talvez seja mais jogo combinar mais um destino na Europa na sua viagem, caso você saia do Brasil. Algumas das companhias aéreas que voam para Varsóvia e Cracóvia são: Lufthansa, British, Air France, TAP, Emirates, entre outras.

Encontre o aérea

A companhia aérea polonesa se chama LOT e ela faz voos, principalmente na Europa, e Estados Unidos. Além disso, a Polônia também possui muitas opções de voos low cost para toda a Europa, feitos por empresas como Ryanair, Easyjet, Germanwings, Norwegian e Wizz Air.

As cidades mais procuradas e que servem como porta de entrada para o turismo no país, são, a capital, Varsóvia e também Cracóvia. Como eu já estava em Paris, fiz o trecho Paris para Varsóvia com a Ryanair e, nesse caso, pousei no aeroporto um pouco mais longe da cidade, chamado Warsaw Modlin Airport.

Leia também >> Como ir do aeroporto Warsaw Modlin ao centro de Varsóvia

Principais Aeroportos

Existem outros, mas estou colocando os das cidades mais procuradas para o turismo pelo país.

  • Varsóvia >> Warsaw – Warsaw Chopin Airport e Warsaw Modlin Airport   
  • Cracóvia >> Krakow – John Paul II International Airport 
  • Gdansk – Gdansk Lech Walesa Airport 
  • Lodz – Wladyslaw Reymont Airport 
  • Poznan (Lawica) – Poznań Airport 
  • Wroclaw (Strachowice) – Wroclaw Airport

Trem

A principal empresa de transporte ferroviário é a Polskie Koleje Państwowe (PKP) que faz as viagens de longa distância nas rotas mais populares. Tem também a Przewozy Regionalne e a Koleje Dolnośląskie ou Koleje Mazowieckie que operam as rotais mais curtinhas.

O preço das passagens variam conforme o modelo do trem, horários e paradas durante a viagem. Por exemplo, EPI (Express Intercity Premium) é um trem mais rápido, com o qual tentei fazer o trecho Cracóvia / Praga e que passei um belo perrengue, que você pode ver no Stories do Instagram.

Fiz também o trecho Varsóvia a Cracóvia com o InterCity, que levou quase 3 horas e a passagem custou 49,00 zł (Jun 2019). Há trens mais baratos ainda que fazem o mesmo trajeto em 4h51, pois fazem várias paradas no caminho.

Algumas passagens você pode comprar online no site da PKP e outras somente na estação de trem, o que foi o caso do trecho Cracóvia / Praga. A multa para quem viaja sem ticket nos trens é de 650 zł (Jun 2019) e sempre vi os fiscais durante as viagens.

Uma coisa importante na hora de comprar o seu ticket de trem para viajar dentro da Polônia é saber o nome das estações, pois é assim que você vai conseguir encontrar os preços e fazer as compras efetivamete.

  • Cracóvia >> Kraków Główny
  • Varsóvia >> Warszawa Centralna (principal e no centro da cidade)
  • Lodz >> Łódź Kaliska
  • Gdańsk >> Gdańsk Główny
  • Poznań >> Poznań Główny  

Ônibus

Imagem Divulgação Flixbus

Assim como em outros destinos na Europa, a empresa Flixbus é a opção mais conhecida para quem viaja de ônibus pela Europa. A empresa possui rotas entre diversos destinos dentro da Polônia, como Varsóvia, Wroclaw, Cracóvia, além de cidades menores e de outros países, como Viena, Berlin, Praga e Budapeste.

Os trajetos são mais longos e mais cansativos do que de avião ou trem, mas os valores das passagens começam a partir de € 3. Então, escolher fazer os traslados de ônibus é uma questão de gosto pessoal e orçamento. Outras empresas de ônibus que atuam na Polônia são: Polonus e Comfort Bus.

Carro

Não fiz nenhum trecho de carro, mas em geral, pelas minhas pesquisas, as estradas polonesas têm boas condições. Elas são divididas em várias categorias, cada uma com limites de velocidades diferentes, que podem variar de 50 km/h a 140 km/h. Por isso, se por um acaso você pretende alugar um carro, procure se informar sobre as estradas e velocidades correspondentes.

Não esqueça também de levar a sua Permissão Internacional para Dirigir, mesmo que muitas vezes elas não sejam exigidas pelas locadoras na hora da locação do carro. Pense que, no caso de haver algum acidente, provavelmente ela será pedida.

Leia também >> 9 dicas para você tirar fotos sensacionais viajando sozinha

Gastronomia

Duas coisas que você deve saber antes de tudo: você pode beber a água da torneira (tap water) e é proibido beber nas ruas. Dito isso, vamos a algumas opções de sopas e pratos típicos que valem a pena provar.

Pierogi: o famoso pastelzinho polonês geralmente é servido cozido (mas também pode ser frito) e é recheado com batata, chucrute, queijo, carne moída ou frutas.

Barszcz czerwony: é como os poloneses chamam o Borsch, um prato tradicional do Leste Europeu. É feito com sopa de beterraba com batata ou uma massinha recheada semelhante à capeletti.

Bigos: tradicional ensopado de carne que é ideal para dias frios. Leva chucrute, vegetais, carne e/ou linguiça.

Zapiekanka: sanduíche aberto que leva cogumelos, queijo derretido e ketchup. É um prato popular que pode ser comprado em lanchonetes, bares, lojas de conveniência, milk bars (uma espécie de cafeteria) até na rua.

Szarlotka: as maçãs são um grande motivo de orgulho para o povo polonês, então vale a pena experimentar este doce, que é a versão polonesa da torta de maçã.

Vodka: outro motivo de orgulho da Polônia são as suas vodkas, que podem ser consumidas por maiores de 18 anos. As marcas mais famosas são: Żubrówka e Żołądkowa Gorzka.

Dicas para montar o seu roteiro pela Polônia

Varsóvia

A intenção aqui é apenas te dar um empurrãozinho para que você comece a montar a sua viagem sozinha. Durante a minha visita a Polônia, só estive em Varsóvia e Cracóvia. O que não faltou foi vontade de conhecer mais cidades, mas precisava de mais tempo. Agora que voltei ficou a certeza de voltar ao país para explorar outras cidades.

De qualquer forma, vou destacar aqui algumas cidades interessantes que você pode incluir nas suas pesquisas – e quem sabe no seu roteiro – junto com uma ideia do que você vai encontrar em cada uma delas.

Varsóvia

A (minha queridinha) capital polonesa é parada obrigatória durante uma viagem pela Polônia. O ponto turístico principal da cidade é o centro antigo, com suas vielas, casinhas coloridas e igrejas que foram reconstruídas após a 2ª Guerra. Além disso, Varsóvia possui uma Rota Real, onde você pode visitar os castelos e palácios da monarquia polonesa, como é o caso do Palácio Wilanów.

Para quem gosta de história e cultura, Varsóvia oferece uma série de museus onde se pode aprender sobre a ocupação nazista, o Levante de Varsóvia e o período soviético. No verão, é possível assistir a concertos gratuitos de Chopin no Parque Lazienki.

Cracóvia

O turismo na Cracóvia se baseia principalmente na história da Polônia, especialmente durante o Holocausto. O bairro judeu e a Fábrica de Schindler podem ser visitados por viajantes que têm interesse em entender essa parte triste da história mundial. Além disso, nos arredores de Cracóvia está a cidade de Oświęcim, local onde estão Auschwitz e Birkenau, os maiores campos de concentração da Alemanha Nazista que hoje se tornaram um museu.

Diferente de Varsóvia, a cidade velha de Cracóvia sobreviveu a guerra e foi tombada como patrimônio histórico da Unesco. Lá, é possível conhecer castelos reais, muralhas medievais e uma belíssima catedral.

Wroclaw

Apesar de ser menos famosa que as irmãs Cracóvia e Varsóvia, muitos consideram que Wroclaw possui a cidade velha mais bonita de toda a Polônia. A região também chama atenção devido à sua arquitetura com traços diferenciados, visto que a cidade já foi território alemão e checo no passado.

Uma parte curiosa do cenário de Wroclaw são as esculturas de gnomos que estão espalhadas por toda a cidade e se tornaram um ícone de protesto histórico.

Gdansk

Viajar Sozinha para a Polonia Gdansk

No norte da Polônia está Gdansk, uma cidade portuária à beira do Mar Báltico. É muito requisitada durante os meses de verão e é famosa por sua animada vida noturna. Fica próximo das cidades de praia Gdynia e Sopot. Estas casinhas coloridas são

Zakopane

Já ao sul, na fronteira com a Eslováquia, está a pequena Zakopane, uma cidadezinha bastante procurada por turistas que querem conhecer de perto o cenário único criado pela cadeia de montanhas nevadas da região. O local é popular tanto no verão, quanto no inverno.

Poznań

Poznań possui mais de 500 mil habitantes e está situada na região economicamente mais desenvolvida da Polônia e está bem próxima de Berlim (mais do que da capital). Queria ter incluído na minha viagem, mas ficou complicado adicioná-la ao meu roteiro, então, ficou pra próxima visita ao país. É lá que você vai encontrar um Centrinho com muita história pra contar e as tão fôfas casinhas coloridas. Também é uma cidade com muitas atividades culturais, como o festival de teatro Malta Festival; e esportivas, como a Maratona de Poznań, uma das maiores corridas de rua da Europa.

Espero que você tenha gostado das dicas e que elas a ajudem a planejar a sua viagem sozinha para a Polônia. Na medida em que eu for escrevendo sobre as experiências em Varsóvia e Cracóvia, os links serão inseridos por aqui. Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários.

Encontre o melhor hotel para a sua viagem solo

Viaje Conectada! Chip internacional entregue na sua casa!

Seguro Viagem com desconto!

Vai alugar um carro? Encontre as melhores locadoras e preços!

Reserva de Hospedagem com Desconto no AirBnb

Compre ingressos e Reserve Passeios pelo mundo

2 COMENTÁRIOS

  1. Gostei muito de suas dicas e tudo o que escrevestes. Sou uma viajante sola desde sempre, aprendi comigo mesma ter esta liberdade, pois nem sempre que tive companhia tive uma boa viagem, e como minha avo já dizia – melhor sozinha do que mal acompanhada, eu segui seu conselho..
    Morei na Europa por alguns anos, e la viajei por muitos lugares sozinha. Hoje estou de volta a Europa depois de muitos anos de morada no Brasil, onde tentei viajar sozinha mas a falta de segurança me impediu. Na Europa me sinto mais segura , e no momento estou morando aqui.
    Abraço de uma viajante sola.

    • Oi Maria Aparecida, tudo bem ? Muito prazer e obrigada pela visitinha. Europa é tão bom pra viajar, né? Aproveite muito! Tenho pensado em me mudar pra aí, mas são planos pra daqui a alguns anos! beijos e volte sempre

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.