A primeira vez a gente nunca esquece

Fiquei pensando sobre o que eu deveria escrever num blog para pessoas que viajam sozinhas…e cheguei à conclusão que ao invés de narrar algumas experiências ou dar dicas, seria melhor começar do início.

Parece óbvio dizer que vamos começar do início, mas não é tão simples assim quando se resolve pela primeira vez se aventurar pelo mundo com uma mala ou mochila nas costas, no meu caso, pouco dinheiro e um medo que teima em aparecer quando começamos a planejar nossa primeira incursão pelo rico mundo dos que viajam sós.

Já faço isso há uns 7 anos e confesso que a primeira experiência foi um misto de ansiedade com um sentimento imenso de liberdade. Definir tudo o que se vai fazer, por onde passar, onde ficar, quanto dinheiro levar, que caminho tomar, quantos dias ficar, entre outras resoluções, sem ter que abrir mão da sua programação ou dos seus desejos, dá uma sensação deliciosa de liberdade e de poder. Eu defino a minha vida e trilho os meus passos como quero.

Sabrina Paschoal_Montanha

Tudo muito lindo, mas é claro que existe um temor de algo dar errado e não ter a quem recorrer, de estar num país estranho sem conhecer ninguém, de não ter com quem tirar a foto em frente a um monumento, não ter com quem dividir a sensação e a opinião quando nos deparamos com algo que gostamos ou não, almoçar, jantar e tomar vinho sozinha…enfim, são coisas que acontecem, mas posso garantir, a gente aprende a se virar e a tirar partido de todas essas situações.

Em todas as minhas viagens vou para lugares onde não tenho nenhum conhecido, então é mais do que só embarcar em um avião sozinha e descer nos braços de algum amigo em outro lado do mundo. É desbravar um país, sem ter absolutamente ninguém que possa te receber em terras estrangeiras.

Se eu puder dizer algo a respeito disso, acreditem, é uma sensação maravilhosa, instigante e desafiadora. Sabem as borboletas no estômago? Elas voam com toda a força nessas horas.

E creiam, nunca fiquei mais do que um dia sozinha, afinal como sempre digo: se você viaja com a mente e o coração abertos, o universo conspira e coloca as melhores pessoas ao seu lado.

Já fiz vários estilos de viagem, desde aquele em que se entra em uma excursão, pegando ônibus, ficando em hotéis e passando por diversas cidades, até aquela em que entro em uma expedição rumo a uma montanha e divido barraca com quem nunca vi na frente e albergue com diversas pessoas desconhecidas.

Sabrina Pachoal_2

Cada uma delas te dá uma vivência diferente. Em uma excursão, você naturalmente começa a conhecer os casais, os amigos que viajam juntos e os “avulsos” como você e a não ser que você seja uma ostra, vai acabar conversando com as pessoas, seja na mesa do café da manhã, no saguão do hotel ou no ônibus rumo a alguma atração turística.

Em uma expedição em meio à natureza para alguma montanha, travessia, trilha, ou seja lá o que for, tudo é mais fácil, no meu ponto de vista, afinal dividimos as mesas de café da manhã em albergues, alojamentos ou barracas e as pessoas começam a conversar, trocar experiências e informações. Você caminha durante horas do seu dia junto com essas pessoas e as afinidades acabam surgindo.

Não há como você não conhecer novas e fantásticas pessoas, muitas vezes muito diferentes de você, que vivem em outros lugares, têm outros hábitos, falam outras línguas e que, com certeza, vão agregar novidades e outras vivências. E isso é muito rico e estimulante.

Quem sabe você não conhece um amigo de verdade com quem dividir uma próxima viagem? Isso já aconteceu comigo e todos os amigos que fiz pelos caminhos da vida, me trouxeram coisas boas, deixaram excelentes lembranças e hoje são capazes de abrir suas casas em diversos cantos do Brasil e do mundo para uma mochileira desgarrada.

Então, por isso tudo eu digo: Não vos acovardai. Se abram para o mundo e ele devolverá, embaladas para presente, as melhores experiências e pessoas inesquecíveis.

Sabrina Paschoal

Sabrina Paschoal

Psicóloga, profissional de RH, mergulhadora, montanhista, trekker e viajante solo.

Confira o blog da Sabrina Por terras distantes !

6 COMENTÁRIOS

  1. Adorei o relato dela! Ainda não tive a oportunidade de viajar sozinha, mas to criando cada vez mais coragem, eu tenho certeza que vou gostar!!

  2. Adoro!!! Esta explosão de sentimentos é surpreendente! Já estou com vontade de me jogar no mundo solo de novo… cada viagem é um enriquecimento novo! Também vou olhar o blog, solo e mergulhadora? Coisas em comum! 😉

  3. Bom, eu raramente viajo sozinha pq o Coiso sempre embarca nas delícias e furadas comigo… mas adorei esse relato da Sabrina, espero que inspire muita gente por aí 🙂

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here