Rio de Janeiro visita ao Palácio da Guanabara | Viajante Solo

Com a alta do dólar e o atual cenário de crise no país, temos que ter mais cautela ao programar nossas viagens. Eu estou em estado de alerta, aguardando a movimentação para o ver no que vai dar e, enquanto isso, aproveito para ‘turistar’ em casa. Posso dizer que sou uma pessoa privilegiada por morar em uma cidade tão linda e tão rica culturalmente. Hora de explorar cada cantinho desse Rio maravilhoso!

Este findi foi a vez de um lugar que sempre passei em frente e tinha curiosidade de conhecer: o palácio do governo. Agora, dentro do Projeto Palácio da Guanabara de Portas Abertas é possível agendar a visita a um dos patrimônios históricos e culturais do Rio de Janeiro, testemunha de grande parte da história da cidade.

[/vc_column_text]

Html code here! Replace this with any non empty text and that's it.

Construído em 1853 como residência de família, o palácio foi vendido à Família Real em 1864, para abrigar a Princesa Isabel e seu marido, Conde d’Eu, recebendo o nome de Paço Isabel. Em 1890, o Palácio foi declarado patrimônio nacional e batizado de Palácio Guanabara. A partir daí passou a ser residência oficial de presidentes da república como Marechal Hermes da Fonseca, Getúlio Vargas e também Eurico Dutra, último a habitar o Palácio, por volta da década de 40.
Paço Isabel Fotos Antigas | Viajante Solo

De 1946 a 1960, o Palácio passa a ser sede da Prefeitura do Distrito Federal e, com a criação do Estado da Guanabara, passou a ser a sede do Governo do Estado abrigando governadores como Floriano Peixoto – o mais antigo – Leonel Brizola, Marcello Alencar, Sérgio Cabral e o atual governador, Luiz Fernando Pezão.

Palacio da Guanabara Detalhes | Viajante SoloEm 68, o prédio ganhou um anexo onde funcionam as subsecretarias da Casa Civil e de Governo.

Salão Nobre

A visita começa pelo Salão Nobre que, desde os tempos da Família Imperial, era um dos centros de reunião do Rio de Janeiro. A Princesa Isabel e seu marido recebiam seus convidados ilustres para jantares e saraus com muita música e poesia. Também era aqui que aconteciam os encontros políticos e, hoje em dia,  é onde acontecem encontros de autoridades e importantes eventos do Estado.

Palacio da Guanabara Salão Nobre | Viajante SoloNeste salão encontramos mobílias da época do império e muitos quadros, entre eles o de Aurélio Figueiredo que retrata a Abdicação de D. Pedro I durante um momento da História Brasileira.

Palacio Guanabara Quadro Abdicação de D. Pedro I | Viajante SoloPalacio Guanabara Salão Nobre Detalhes | Viajante SoloA caminho da Sala Pé de Moleque, passamos por um Jardim de Inverno, onde a princesa Isabel costumava passar grande parte de seu tempo.

Palacio Guanabara Jardim Interno | Viajante SoloSala Pé de Moleque

A sala tem este nome porque, em 2011, durante uma obra de restauração, acharam um tipo de calçamento conhecido como ‘pé de moleque’. É uma técnica que utiliza pedras da região que são assentadas com barro. Esta técnica foi trazida pelos portugueses no século XVII e era usada nas áreas onde ficavam os escravos. Quem nos apresentou a sala foi a querida Renata, guia do SENAC, que nos explicou que a cobertura com vidros resistentes – cada placa aguenta até 200 kgs – foi usada para a melhor proteção deste calçamento.

Palacio Guanabara Sala Pé de Moleque | Viajante Solo

A sala é muito bonita e achei criativa a maneira encontrada para preservar a história, mas confesso que dá uma agonia tremenda andar sobre o vidro, mesmo que você não passe do chão! hahaha

Palacio Guanabara Calçamento Pe de Moleque | Viajante SoloA caminho dos jardins fomos surpreendidos por um mini-concerto com instrumentistas de várias comunidades pacificadas da cidade. Foi muito lindo!

Palacio Guanabara Concerto Patio Interno | Viajante SoloJardins do Palácio

O desenho dos jardins da propriedade foi idealizado pelo francês Paul Villon no começo do século XX. Ainda é possível ver o desenho original: um enorme retângulo, com canteiros geométricos seguindo um conceito francês. Palacio Guanabara Jardim | Viajante Solo

Como destaque do jardim, encontramos o belíssimo chafariz com uma escultura de Netuno rodeado de crianças. A obra é de autoria do escultor francês Gabriel Dubray, da Fundação Val d’Osne, uma das mais renomadas fundições do século 19.

Palacio da Guanabara Chafariz de Netuno | Viajante SoloAhhhh e as Palmeiras Imperiais que tanto amo. Como são lindas! Estas da Alameda foram plantadas durante a reforma e quem as cultivava na época, ostentava status e aproximação com a monarquia. Fileiras duplas de palmeiras são características dos jardins brasileiros do final do século 19 e início do 20. Hoje existe apenas uma delas da época da Princesa Isabel e fica ao lado do Palácio e não nessa alameda.

Também foram plantadas diversas árvores frutíferas exóticas como mangueiras, jaqueiras e jambeiros.

Capela de Santa Teresinha

A visita se encerra na Capela de Santa Teresinha que fica logo ao lado do Palácio Guanabara. Sua construção, que data de 1946, está diretamente relacionada a devoção de Carmela Dutra, esposa do então Presidente Mal. Eurico Gaspar Dutra. A construção, em estilo neo-colonial, levou 142 dias e sua localização é exatamente em frente a janela do quarto de Carmela.

Capela Santa Teresinha | Viajante SoloGostei bastante da visita e acho que vale muito a pena conhecer um pouquinho mais da história, mas ao mesmo tempo fiquei um pouco frustrada por não poder ver mais cômodos do palácio. Dizem que, em breve, abrirão a Sala Verde para visitas. Bom, o negócio é ficar torcendo para que isso aconteça em um futuro próximo.

Como agendar a Visita

A visita é gratuita, tem a duração de mais ou menos 1 h e você pode parar o carro no estacionamento do palácio.

Para agendar a visita é necessário enviar e-mail para: visitaguiada@casacivil.rj.gov.br com os seguintes dados: nome completo, RG e CPF e telefone para contato. Você receberá um e-mail com a confirmação e dias antes de sua visita todas as instruções.

Palácio da Guanabara – Rua Pinheiro Machado s/nº – Laranjeiras

 

6 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de saber os dias para visitação, vou está no Rio de Janeiro, de 15 a 19 de março e gostaria de conhecer o palácio.

  2. OIÊ!!!
    Sou carioca, mas morando em João Pessoas há anos. Mesmo com todo emblema, toda Ipanema e todo problema morro de saudade do Rio. Em fevereiro (2017) vou passar algumas semanas por aí e pretendo fazer esta visita. Gostaria de saber se ainda está de pé as visitas. Ah, espero que sim!!!
    Bjs,
    Paula

    • Oiêee Paula, tudo bem ? Não conheço João Pessoa ainda, acredita? Que falta grave…rs Olha, que eu saiba ainda está de pé sim, apesar de que fiz faz um tempinho. Vc pode escrever para o email de informações visitaguiada@casacivil.rj.gov.br e confirmar pra não ter problemas, né? Boa viagem e que vc mate as saudades 🙂 beijos

  3. Boa noite Denise!

    Primeiramente gostaria de parabenizar sua matéria sobre o Palácio Guanabara; Sou aluno de Guia de Turismo do Senac e estou fazendo um levantamento histórico/cultural sobre a construção. Ler isso tudo foi de grande ajuda e acrescentou muito no meu trabalho.
    O que me deixou mais feliz foi ler sua bio no final do texto e descobrir que além da paixão por viagens, temos muita coisa em comum. Além de Guia de Turismo em formação, também curso Marketing (4* período/Unicarioca); No primeiro semestre de 2017 estarei iniciando o último período e com isso, iniciando também o TCC. Mais uma surpresa foi ver que você é especialista na área em que eu pretendo fazer o trabalho de conclusão do curso (mídias sociais).

    Agradeço mais uma vez e espero manter contato! 🙂

    Sérgio Murilo.

    • Que legal, Sérgio! Obrigada pela visita e pelos elogios. Eu amo viajar e amo marketing e sou muita grata por poder trabalhar com as minhas duas paixões. Se precisar de alguma ajuda no TCC é só falar 🙂 Beijos e volte sempre

DEIXE UM COMENTÁRIO! VOU ADORAR!

Please enter your comment!
Please enter your name here